Merda acontece, na vida real.

Depois de mais de um ano sem escrever por aqui, eu, Wic, volto a colaborar com o Milioitenta, com uma história trágica que aconteceu com a minha própria pessoa. Como um bom filho a casa torna (e nenhum espaço além da minha casa antiga vai publicar este meu relato) eu vou deixar de arrudeios e vou falar o que de fato aconteceu com o jornalista recém formado que vos escreve.

Bom, estava eu voltando do nosso ilustríssimo bairro do Recife Antigo no último sábado (18), depois de mais uma noite de desfrute dos pudores fúteis da juventude pernambucana (álcool, drogas e mulheres). Na minha companhia, estavam quatro amigos aqui do bairro – que nem vale falar o nome pra num dar crédito pra esses safados! – quando de repente, não mais que de repente, eu tive a abençoada idéia de ‘forçar a barra’ e soltar um pum (ou peido, como quiser) daqueles que só o dono sabe que vai ser beem fedorento. Mas não foi apenas isso que aconteceu, veja na reconstituição do diálogo:

Wic: -puuuuuuuuuuuum! :S

Amigo 1: – porra Wic, dispense… (tapando o nariz)

Amigo 2: – caralho, cagou-se! (rindo e chamando a atenção dos outros)

Wic: – ME CAGUEI, véi… puta MERDA!

Todos os amigos: – AHSiuHAISuhIAUSHiuAHISuAIUShiUAHsiuHAISUhIAUSHUAS…

(E se eternizaram no riso e nas piadas mal elaboradas, até o destino final do ônibus.)

Estávamos todos no Cais de Santa Rita, minutos antes de a nossa última condução pública nos apanhar (4h da matina) e eu não pensava em outra coisa a não ser em: putis, que merda! Não me lembrava de como era ruim estar ‘cagado’ e apesar de estar super lombrado e bêbado, a vergonha foi inevitável, por motivos óbvios.

Quando o ônibus chegou, eu saí correndo desembestado! Entrei, passei pela catraca e deixei minha mácula tomar conta do recinto… Meus muy amigos, aproveitaram, claro! Eu que nunca deixei uma brincadeira de mau gosto passar despercebida, agora era a bola da vez… Condenado a segurar meu sorriso super encardido, não mais do que a minha calça branca melada de caquinha nos fundilhos.

Não vou ser hipócrita! Fiquei e ainda fico ruborizado quando o assunto é esse… Oras, nem o fato de eu ter finalmente terminado a faculdade me rendeu tão grande e instantânea fama! Ligações no meio da noite de um cidadão gargalhando da minha cagada… Mensagens de texto que não param de chegar… O assédio dos fãs… Nossa! Se soubesse que cagando na roupa eu ia chamar tanta atenção assim… Se eu tivesse tantos leitores quantos são os fãs dos meus feitos históricos… Toda vez que eu escrever agora, vou chegar na galera deixando o endereço do blog.

Muitos se lamentaram/lamentam por não estarem presentes em mais um episódio hilário da minha nada discreta vida. Os que me conhecem, sabem da minha alcunha de ‘disaster boy’… Enquanto os que não conhecem ficam com medo! CUIDADO, eu posso cagar no seu colo… hehehehe… Enfim, fica a dica, pessoal: procurem não forçar a barra depois de uma noite de consumo exagerado de álcool e drogas, apesar de eu desconfiar bastante que o que me fez mal foi uma coxinha mal assombrada que eu devorei, assim que a noite começou. E sinceramente, estar cagado é ruim… Mas é até engraçado, no fim das contas.

3 Respostas to “Merda acontece, na vida real.”

  1. Milioitenta Blog Says:

    eu não seria o jornalista descarado, desalmado, desavergonhado e desempregado que eu sou… se um lance desses acontece comigo eu escondo de todo mundo… CONTRA FLATOS NÃO HÁ ARGUMENTOS! hahahaha… #FAIL

  2. Além de negooo, folote tbm é??? booooooooora caquinhaaaas!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: